Regressão à Vidas Passadas - TVP


O QUE É TERAPIA DE VIDAS PASSADAS?

É uma terapia holística, ou seja, atua sobre o corpo, a mente, as emoções e o espírito da pessoa. Esta terapia tem a finalidade de transportar você para um período anterior ao seu nascimento, faz com que você regrida a outra vida, para relacionar dificuldades pelas quais você possa estar passando no presente. O motivo para procurar a terapia de vidas passadas é melhorar sua vida nesta de agora. Com muita freqüência, num momento traumático do passado, uma parte de nossa consciência (parte de nosso eu global) se separa e permanece “emburrada”. As causas da vida passada podem se manifestar no presente como uma fobia, alergia, uma doença crônica ou uma deficiência física, um vício, um distúrbio mental, incapacidade de se relacionar, uma atração ou repulsa inexplicável em relação a alguém, pesadelos repetidos ou uma simples sensação de desconforto.


O QUE A TERAPIA DE VIDAS PASSADAS PODE PROPORCIONAR?
Ela pode ser útil em vários níveis: fobias, medos irracionais, problemas de saúde, eliminar o medo da morte, explicar disfunções de alimentação, distúrbios familiares, vícios, distúrbios sexuais, problemas do casamento e de relacionamento. Ela conserta modelos negativos, encontrando os motivos para as dificuldades na vida atual e pondo em ação uma mudança positiva, na medida em que revela os motivos de sua encarnação e elimina eventuais culpas e ansiedades.
É SUFICIENTE APENAS REVIVER VIDAS PASSADAS?
Reviver uma vida raramente basta para satisfazer objetivos mais sérios. A maior parte do trabalho terapêutico compreende liberar algo que ficou bloqueado no passado, o fardo que foi transportado para a vida atual, que precisa ser eliminado através do esclarecimento para dar lugar a um novo tipo de resposta. A causa original pode ser emocional, física ou mental, mas ficará marcada como uma cicatriz na vida atual e poderá se manifestar como alguma forma de doença ou outro tipo de mal-estar, não necessariamente físico. A TVP busca resolver a causa, curando, assim, a doença. Convém esclarecer que os Terapeutas do Túnel do Tempo não praticam a regressão a vidas passadas apenas para satisfazer a curiosidade de pessoas que querem saber o que foram. Na verdade, o que foram no passado pouco importa – se reis, rainhas ou escravos, homem ou mulher, vítimas ou algozes – mas sim, o que têm que fazer na vida atual para se tornarem seres humanos melhores.
EXISTE DIFERENÇA ENTRE REVIVER VIDAS PASSADAS E FAZER A TERAPIA DE VIDAS PASSADAS?
Certamente. Retomar uma vida passada é assunto para a curiosidade. A abordagem tendo em vista esclarecer “quem eu fui” não é terapêutica. Raramente faz uma diferença importante em relação à sua vida atual nem traz uma mudança permanente. A abordagem terapêutica, contudo, põe às claras os motivos por trás de seu comportamento ou dificuldades atuais e mudam o quadro. Ela amplia sua compreensão a respeito de si mesmo. A TVP na grande maioria das vezes pode significar cura, pois depois da terapia sua vida ou sua saúde tendem a melhorar, muitas vezes de uma forma surpreendente. Mas, como já foi dito anteriormente, nada é MILAGROSO. A motivação do cliente, sua persistência, a mudança de hábitos, são fatores fundamentais para o bom resultado da terapia.
A PESSOA PERDE O CONTROLE DO PROCESSO?
Tudo vai depender do método empregado e do seu terapeuta. No Túnel do Tempo os terapeutas regressivos não centralizam tudo em si mesmos, mas sim, procuram centrar o processo mais no cliente, o que permite a este seguir seu próprio ritmo e fazer tudo a seu jeito (com a ajuda ou sob a orientação do terapeuta, quando necessário). Você se recordará de tudo, terá domínio sobre seu corpo e suas emoções, e em hipótese alguma correrá qualquer risco contra a sua integridade física ou moral.
QUEM PASSA PELA TVP REVELA SEGREDOS AO TERAPEUTA?
Não necessariamente. Como o cliente permanece o tempo todo absolutamente consciente de tudo o que se passa ao seu redor, ele poderá optar entre relatar ao Terapeuta o que “vê”, sente ou percebe, ou permanecer em silêncio. Recomendamos que o cliente compartilhe conosco seus sentimentos, mesmo porque através deles saberemos se estamos ou não no caminho certo. No mais, existe uma primeira entrevista, que chamamos de anamnese, onde inúmeras questões são levantadas, sendo recomendável ao cliente que não se omita sobre fatos, emoções ou sentimentos. Neste tipo de terapia só há bons resultados quando existe uma relação de absoluta confiança entre o Terapeuta e o paciente, e deste para com aquele (aquilo que os hipnólogos chamam de rapport). Por isto volto a insistir: investigue a vida daquele que você pretende contratar para ser o seu terapeuta,  verificando sua formação, sua idoneidade moral e capacidade técnica, a fim de não “comprar gato por lebre”.
TODAS AS PESSOAS TEM A CAPACIDADE DE REGREDIR?
Algumas pessoas tem dificuldade de se entregar. São as pessoas muito mentais, comandadas pelo seu intelecto, ou as autoritárias, acostumadas a mandar e não a obedecer. Outras pessoas estão tão obsediadas que não conseguem receber este benefício. Outras não tem o merecimento espiritual de poder se curar de algo que as incomoda, ainda têm de sofrer mais para “cair a ficha” de que devem promover uma mudança em si, em suas atitudes perante a vida, perante seus familiares e perante a sociedade. Alguns seres humanos aprendem com o amor, outros com a dor. Então, para simplificar, chegará o dia em que a pessoa que não conseguiu regredir em alguma época assim conseguir em outra.
O QUE VEM A SER BLOQUEIO ?
Tanto o bloqueio como a resistência, que falaremos a seguir, são atitudes psíquicas que surgem durante um trabalho regressivo, dificultando a penetração em cenas-chave ligadas às queixas do paciente/cliente. O bloqueio é uma pseudobarreira que parece impedir a revisualização de um determinado fato ou um conjunto de situações, e não somente rever, como também sentir algo que aconteceu numa situação passada em tempos mais ou menos remotos. Um exemplo freqüente é o caso do paciente que, instado a “rever” uma situação qualquer, responde: “Não vejo nada”.  Isto sifnifica que o inconsciente bloqueia a tomada de consciência porque certamente há muito tempo ele construiu uma muralha de defesa amnésica, ou então existiu outrora uma dificuldade real que o impedir de ver aquilo que estava acontecendo (cegueira, por exemplo). Mauro Kwitko defende que às vezes o paciente está sontonizado no caixão onde seu corpo foi colocado após morrer em uma vida passada, e só depois de muito tempo o espírito conseguiu ser retirado pelos irmãos espirituais (nestes casos, quase sempre a pessoa, no presente, tem fobia de lugares fechados, medo de escuro, medo de morrer).
O QUE É RESISTÊNCIA?
É a recusa por parte do paciente/cliente de permitir que ocorra a ligação entre o presente e o passado (quase sempre inconscientemente). Resulta do modo de enfrenter uma situação que causou grave sofrimento em outras épocas ou vidas anteriores, e que o paciente quer então evitar. Uma pessoa pode não querer ver que uma determinada atitude é infantil porque, sob certo ponto de vista, por meio dela frenqüentemente conseguiu atenções que julga que não obteria se agisse de outra forma, o que eu, particularmente, chamo de “ganhos secundários). Esse tipo de atitude pórem traz uma série de desconfortos psíquicos ou físicos, mas que ele próprio é incapaz de ligar a maneiras de ser, pensamentos ou comportamentos inadequados. Em ocasiões de grande resistência, principalmente perante somatizações, é possível que o cliente não queira rever situações de grande violência, em que foi submetido a tortura prolongada ou estupro. No início o mês de março atendi uma pessoa que resistiu durante várias sessões, até que se lembrou de ter sido queimada como bruxa na época das inquisições. Foram sessões dolorosas tanto para a cliente quanto para o Terapeuta, mas após reviver as cenas traumáticas a paciente informou ter conseguido um avanço significativo na melhora de suas queixas.
A REGRESSÃO PODERIA SER UMA ALUCINAÇÃO OU FANTASIA?
Particularmente, respeitando opiniões contrárias, acho que não.  Algumas pessoas criticam, dão opiniões sem estudar a fundo a questão, falam mal, dizem que é coisa do diabo (normalmente pessoas com a cabeça feita por algumas religiões ocidentais), porém nunca se submeteram a uma regressão, ou, se alguma vez tentaram pode não ter dado certo por algum motivo. E há também aqueles que não gostaram da regressão por terem vevivido situações pesadas, dolorosas, traumáticas, e isto deve ser respeitado. Mas a maioria dos que passaram pela regressão livraram-se de vários sintomas, melhoraram sua qualidade de vida e são pessoas mais felizes. Se isto for alucinação, tudo bem.
RELEMBRAR UM EVENTO TRAUMATIZANTE NÃO PODE PIORAR AS COISAS?
Mauro Kwitiko, tantas vezes já citado, assim responde: Ruim mesmo é ter de conviver com sintomas e doenças por anos, décadas, que a regressão pode ajudar a resolver. O que a PsicoterapiaReencarcionista proporciona é nos colocar diante de nós mesmos. Assim, o que se vê na regressão já está presente em nossas vidas. Além disso, a mente tem mecanismos naturais que protegem o paciente daquilo que poderia trazer-lhe prejuízos, além de contar com a proteção do Guia Espiritual (que eu chamo de Anjo da Guarda). Depois, a melhor maneira de vencer um inimigo é conhecê-lo. Quando os traumas do passado estão prejudicando o andamento da vida ou provocando dores e doenças, o melhor é trazê-los à consciência para enfrentá-los e tentar chegar à liberdade para obter uma melhor qualidade de vida.
HÁ PERIGOS NUMA REGRESSÃO?
Atravessar uma rua movimentada numa grande cidade oferece perigo. Tomar remédios alopáticos também. Conheço uma moça que morreu na cadeira do dentista depois de sofrer um choque anafilático causado pela anestesia. Corremos riscos em várias situações da vida. O erro médico é uma realidade inegável, e nossas frutas e hortaliças estão carregadas de agrotóxicos que abreviam nosso tempo na presente dimensão, nos levando à morte física. A TVP, como sempre digo, deve ser conduzida por um terapeuta competente e ético, que saiba resgatar o material submersso no inconsciente e tratá-lo adequadamente com risco perto de zero.
HÁ CONTRA-INDICAÇÃO NA TERAPIA DE REGRESSÃO?
Há sim. Particularmente eu somente atendo portadores de transtorno bipolar se estiverem sendo assistidos por médicos psiquiatras e devidamente estabilizadas com os remédios próprios para cada caso. Também não atendo cardíacos, mulheres em gestação, pessoas hipertensas sem controle medicamentoso ou aquelas que tiveram algum tipo de AVC. Pessoas muito idosas ou crianças e adolescentes com menos de 15 anos não acho recomendável a regressão, nada obstando, no entanto, que com elas se utilize a hipnose, o que, por sinal, é até recomendável. Psicóticos, esquizofrênicos ou esquizo-afetivos, na forma grave, até onde sei não devem regredir a vidas passadas.
____________________________________________
Claro que estas perguntas e respostas não esgotam o tema. São brevíssimos esclarecimentos sobre uma técnica criada por volta do ano de 1977 por Morris Netherton com o nome de “past life therapy” e que foi difundida posteriormente ao mundo todo pelo inteligente psiquiatra americano Brian Weiss.
Fonte:

Nenhum comentário:

Postar um comentário