domingo, 29 de janeiro de 2012

O Equilíbrio dos 5 Elementos em Nós




Ao enveredar por entre os caminhos dos tratamentos holísticos sempre procure a ajuda de profissionais, eles são a melhor fonte de conhecimento e prática que o ou a conduzirão rumo ao equilíbrio e bem estar!
Para saber em que ou  quais elemento(s) seu corpo esta  em desequilíbrio precisará de um profissional capacitado na terapia da radiestesia e de um capacitado em astrologia cada um medirá seu desequilíbrio dentro de um espaço de tempo diferenciado.



Bioenergia na visão Sufi
Na mística sufi, as etapas de evolução são apresentadas numa relação exatamente oposta: deve-se deixar a realidade ilusória (ar), queimar dentro de si as imagens (fogo), apreender a divina realidade no que ela tem de mais fluido e impreciso (água) e finalmente fundir-se na total e única realidade, divina, verdadeiramente sólida (terra).













Bioenergia e o Equilíbrio dos Cinco Elementos da Medicina Tradicional Chinesa:




As cinco fases da energia ou 5 elementos mantêm o equilíbrio interno e a harmonia entre as energia Yin e Yang, através de ciclos de equilíbrio e checagem, chamados ciclo criativo e ciclo de controle. Ambos os ciclos, que interagem e equilibram um ao outro, estão em constante atividade, mantendo o campo dinâmico destas forças polares, que é necessário para mover e transformar as energias (equilíbrio).


A vida se agita! Tudo na criação vibra. A característica fundamental da vibração é que ela sempre existe como uma expressão dos ciclos. Tudo na natureza é uma expressão dos ciclos: nascimento e morte; verão e inverno; noite e dia; inspiração e expiração.

Na natureza sempre existe dinâmica entre o centrífugo e o centrípeto, a expansão e a contração, empurrar e puxar, construir e limpar, ativo e receptivo, elétrico e magnético, masculino e feminino, ácido e alcalino, positivo e negativo, espírito e matéria. Essa dinâmica é mais conhecida como Yin e Yang, e a interação dessas forças na totalidade é conhecida como Tao. Os orientais chamam isso de “o supremo princípio” e “as duas mãos de Deus”. O Dr. Stone denominou Polaridade a esse ciclo vivo de energia subjacente a tudo na natureza.



O Ciclo em nosso Corpo:








OS 5 ELEMENTOS E OS ÓRGÃOS

os 5 elementos e os orgãos   
Fisiologicamente, a Teoria dos Cinco Elementos a unidade do relacionamento mútuo entre os órgãos Zang-fu e os tecidos corporais, bem como, entre o corpo humano e a natureza.
   As atividades fisiológicas dos 5 órgãos zang podem ser classificadas de acordo com as diferentes características dos cinco elementos. Por exemplo, diz-se que o fígado preside sobre o fluxo vigoroso do Qi e também tem a função de assegurar a livre circulação do Qi.
   Uma vez que estas características são semelhantes às propriedades da madeira, o fígado é caracterizado como madeira. O coração yang tem uma ação de aquecimento, logo pertence à categoria do fogo. O baço é a fonte de transformação das substâncias essenciais e está associado às características do elemento terra de crescimento e transformação. O pulmão tem propriedades de limpeza e está associado com o elemento metal. O rim tem a função de controlar o metabolismo da água e armazenamento de essência e está associado com as características do elemento água.
Acupuntura dos 5 elementos: Este ramo tende a focalizar o componente psicoemocional da saúde e faz tratamento unicamente com base na sua constituição, e utiliza somente acupuntura e moxa.

figadoFÍGADO – órgão Zang

   É o centro do metabolismo. Coordena e determina o ritmo de atividade dos outros órgãos do organismo. É um órgão de eliminação de toxinas e resíduos a todos os níveis: físico, mental e psíquico. Pode acumular tensões provenientes de raiva e aborrecimentos. O meridiano comanda as múltiplas funções do fígado, especialmente as relacionadas com o metabolismo, sexualidade, a musculatura e a acuidade visual. Age sobre as dores no fígado e estômago. Atua nos problemas da parte inferior do corpo.


vesículaVESÍCULA BILIAR – órgão Fu

   Comanda a função biliar total: sistema excretor e secretor, intra- e extra-hepático; é um órgão de eliminação. É denominado o “meridiano dos hipocondríacos”. É indicado no tratamento de doenças psicossomáticas; age sobre a coragem e o espírito de determinação, sobre as dores nos olhos, dificuldades de audição, tonturas, depressão, enxaquecas. Pode acumular disfunções provenientes de muitas dúvidas.

CORAÇÃO – órgão Zang

coração   Faz circular os produtos do metabolismo. Representa o centro do amor e segurança. O meridiano comanda a função cardíaca. Atua sobre a temperatura corporal e numa parte do psiquismo: a coragem moral. Atua sobre a boca e garganta, dor ou frio no braço esquerdo.

CIRCULAÇÃO - SEXO

   Representa uma função reguladora da sexualidade e das secreções sexuais internas e externas; atua sobre o coração, a circulação e os órgãos sexuais. Relaciona-se com a atividade parassimpática e com o transporte de hormonas, enzimas e produtos do metabolismo intermediário, através da circulação sanguínea. Atua sobre axilas inchadas, cãibras, peito inchado, sensação geral de melancolia.


intistino delgadoINTESTINO DELGADO – órgão Fu

   Órgão de eliminação e transformação da energia dos alimentos. Representa a libertação dos desperdícios. O meridiano atua sobre o intestino delgado e na sua função de absorção dos alimentos transformados no estômago. Atua na surdez, olhos amarelados, dor no cotovelo, na nuca e rosto inchado.

TRIPLO-AQUECEDOR

   Representa uma função reguladora de equilíbrio térmico; é responsável pela produção de calor no animal resultante da transformação energética dos alimentos. Relaciona-se com: respiração; digestão: auxilia-a do Intestino Delgado; sistema geniturinário (excreção de detritos).

baço - pâncreasBAÇO - PÂNCREAS – órgão Zang

   Retém energia de reserva. É o órgão de resistência a mudanças. O meridiano atua sobre a função combinada dos órgãos: o baço regula o sangue e o pâncreas regula as reservas de glicogênio (depositado no fígado) através da secreção de insulina. Atua sobre o desenvolvimento mental, moral e intelectual; sobre o sistema genital e seu psiquismo. Atua nos enjôos, soluços, indigestão, diarréia, indisposição geral. Atua também nos problemas centrais do corpo.
estômago

ESTÔMAGO– órgão Fu

   Recebe alimentos e prepara-os para o metabolismo. É a relação administrativa de idéias e dos pensamentos.
   O meridiano atua sobre o estômago e duodeno nas suas funções digestivas transformadoras dos alimentos; relaciona-se coma digestão física, mental e psíquica (a habilidade de digerir a vida). Atua nas dores de cabeça, calafrios e flatulência. Atua também nos problemas da parte frontal do organismo.

pulmão

PULMÃO – órgão Zang

   Recebe o oxigênio para o metabolismo; é um órgão de reserva de energia vital e da habilidade de aceitar a vida. O meridiano atua sobre os pulmões e as vias respiratórias na sua função de absorção e eliminação de substâncias gasosas; estimulado, age sobre todas as deficiências respiratórias.


INTESTINO GROSSO – órgão Fu

   Expele o desnecessário para o metabolismo; órgão de eliminação que afeta toda a eliminação através do organismo (pele, muco, etc…).O meridiano atua sobre o intestino grosso e sobre as suas funções de absorção líquida e eliminação de resíduos pesados. Atua nos problemas da parte superior do corpo.

rins

RINS – órgão Zang

   Órgão de energia de reserva, expelem os subprodutos do metabolismo. É o órgão do desapontamento, da tristeza e melancolia. O meridiano atua sobre os rins e as glândulas supra-renais, contribuindo para a purificação do sangue e para a regulação de todos os líquidos do corpo. Relaciona-se diretamente com a energia sexual e problemas genitais, apetite sexual, medo, insegurança, determinação.




BEXIGA – órgão Fubexiga

   Órgão de eliminação de toxinas líquidas e emoções negativas (Yin). Está relacionado com o medo extremo, negação da própria vida. O meridiano comanda toda a função de eliminação renal, e atua diretamente sobre o psiquismo. Ação sobre os olhos doridos, hemorróidas, rupturas, dedos dos pés duros, dores de articulações e de cabeça.



MADEIRA
FOGO
TERRA
METAL
ÁGUA
Órgãos Zang
Fígado
Coração
Baço /Pâncreas
Pulmão
Rins
Órgãos Fu
Vesícula Biliar
Intestino delgado
Estômago
Intestino grosso
Bexiga
Órgãos Guan (abre-se)
Olho
Língua
Boca
Nariz
Orelha
Tecidos (Alimenta)
Músculos, tendões
Pulso
Carne /músculos
Pele e pêlos
Ossos
Emoções
Raiva
Alegria
Pensamento
Tristeza
Medo
Tipos de corpo
Alto, ossos e articulações fortes
Mãos pequenas, rápidos e energéticos
Pernas fortes, calmo, generoso
Voz forte, meticuloso, forte e selvagem
Digestão forte, leal, adora movimento





Quantum Terapias Holísticas respeita a Lei 9610/98, Lei do Direito Autoral, referenciando a fonte completa da informação:
http://www.portalterapiaoriental.com.br/5-elementos.html





Os cinco elementos arquetípicos

Os antigos tinham uma concepção do mundo como o produto de cinco forças arquetípicas: Éter, Ar, Fogo, Água e Terra. Toda a energia na natureza é sintonizada com essas cinco harmonias de ressonância.

Esses padrões de ressonância são tradicionalmente chamados elementos. Histórica e culturalmente, a ciência dos antigos é baseada nessas elementais notas principais de energia.

Toda vibração na criação é sustentada por sua harmonia com essas forças universais. Os elementos mantêm cinco fases de materialização. Toda a energia na natureza radia para fora a partir do centro, descendo do espírito para a matéria no modelo quântico por meio das cinco fases de materialização.


A potência da emanação cai quando a energia se move para longe do centro. O campo interior ressoa com o núcleo do Éter, o centro etéreo.

O primeiro campo que desce do Éter nesse ciclo de fases predomina em Ar. A fase seguinte radia para fora como a harmonia do Fogo; depois para a Água, uma força centrípeta. Finalmente, na fase da Terra, o campo é puxado de volta para o vórtice no centro para outro ciclo.

A criação é tecida a partir das energias dos cinco elementos como: Éter (espaço), Ar (gás), Fogo (calor), Água (líquido) e Terra (sólido). Nossos sentidos formam o tecido de nossa experiência através da sintonização com essas notas principais da natureza.



 Cada campo energético é feito de limites (Terra), um meio para a vida (Água), energia operante direcionada (Fogo) e feedback inteligente (Ar), em um espaço totalmente harmonizado (Éter). Os elementos estão por trás de nossos processos mentais, emocionais e físicos.

Cada fenômeno no plano físico é feito de todos os elementos, mas uma nota principal elemental de ressonância predomina e dá à forma suas qualidades distintas.

 Assim, estruturas e processos específicos no corpo são caracterizados como: predominância do Ar (sistema nervoso); predominância do Fogo (músculos e órgãos assimilativos); predominância da Água (tendões e trato urogenital); predominância da Terra (ossos e órgãos de eliminação).

Por toda a natureza, o fenômeno da solidez é sustentado por um padrão de energia que chamamos de Terra. A Terra funciona como a frequência ressonante que predomina nos campos da força fenomenal com uma qualidade de solidez como os ossos em nosso corpo.

A Terra, que rege nas fronteiras do campo energético, mantém limites e predomina no cólon, que cria uma fronteira entre aquilo que sustenta a vida e aquilo que deve ser eliminado. A Terra rege a eliminação e a conclusão.

Nossa experiência de fluidez predomina no comprimento de onda da Água. O elemento Água predomina no endoderma, nos tendões e na pélvis. A Água incorpora o meio líquido e os ciclos que purificam e sustentam a vida, tais como o sangue que flui nas veias ou os rios que correm para o oceano. A Água, que sempre flui para baixo, para dentro da Terra, levando embora as impurezas, rege os processos de limpeza da bexiga e da linfa.

O calor e as energias calóricas são mantidos por uma freqüência de vibração que chamamos de Fogo. Esse padrão elétrico de energia predomina nos campos de força que manifestam calor. O fogo direciona a energia em nossos órgãos vitais e na musculatura.

A qualidade de estar de acordo com lei e a profunda harmonia e integração de todo o movimento na criação são expressas no campo de força chamado elemento Ar. Nosso sistema nervoso ressoa com a nota principal do Ar.

O Éter é o espaço onde a energia flui livremente sem obstrução. O Éter cria um recipiente que limita e define o espaço total no qual os elementos passam por ciclos. Quando o Éter está em equilíbrio, existe uma sensação de liberdade e espaço psíquico.

Todos os fenômenos são feitos desses cinco arquétipos de vibração: o limite da Terra, o meio da Água, a energia diretiva do Fogo; e o movimento organizador legal do Ar no espaço do Éter.
Como um aparelho de TV que está sintonizado em um canal específico de vibração, nossos sentidos e nossa mente estão afinados com as frequências elementais de vibração e criam nossa experiência por intermédio dessa sintonia.

Os elementos são os seres arquetípicos cuja Inteligência Criadora e vontade são subjacentes à manifestação. O trabalho com essas cinco forças transpessoais é uma base da Terapia da Polaridade. E importante que os terapeutas mantenham um relacionamento inteligente e respeitoso com esses ancestrais.



Campos de predominância do Ar

O Ar é a primeira aura de emanação do centro etéreo, descendo do Éter através da fase de alongamento da inalação. O Ar sustenta os ritmos fundamentais que sintonizam o corpo com as forças do Cosmos.

O Ar regula o movimento como expressão da harmonia da natureza e do universo. As correntes transversais de energia, que partem da coroa da cabeça em um movimento espiral e se movem para leste e oeste em volta da superfície do corpo, agindo como mecanismos sensórios e de feedback, têm o Ar como elemento predominante.

O Ar define o corpo de lado a lado, unindo a periferia dos campos de energia com o centro.

O Ar governa o movimento e sustenta a harmonia dos ciclos que sintonizam toda a vibração no corpo com a fonte única. O Ar rege as batidas do coração, os pulmões, a respiração e a peristalse através do corpo. A cavidade torácica, morada da vida fundamental do ritmo da respiração, é o centro da harmonia do Ar no corpo.

Em uma perspectiva astrológica, o elemento Ar rege a coluna vertebral, os ombros e braços (positivo, Gêmeos), o diafragma e os rins (neutro, Libra) e os tornozelos (negativo, Aquário).

O elemento Ar rege nosso sentido de movimento por meio do toque, os desejos e as aversões que nos movem na vida; a agilidade da mente, a flexibilidade das articulações e os ritmos da respiração da vida. O Ar é uma força neutra de equilíbrio entre as polaridades centrífuga e centrípeta do Fogo e Água, cuja inteligência viva harmonia o corpo com a Fonte. Um toque sua de quietude ativa essa nota principal vibração sáttvico.

Campos de predominância do Fogo

O Fogo rege a energia direcionada no corpo. Ele expressa o propósito, a inteligência, a força de vontade, a motivação, o desejo e a excitação da criação O Fogo é a força motriz da vitalidade n corpo. O Fogo radia através do corpo partir de seu centro no umbílico para definir o corpo da parte frontal à posterior de dentro para fora.

O Fogo é a energia centrífuga centrada em nosso plexo solar, localizado entre o diafragma e o umbigo. O Fogo rege nosso mesoderma, os órgãos internos, os processos do metabolismo e nossa musculatura.

Em uma perspectiva astrológica, o Fogo, energia direcionada, rege a cabeça, como visão, intenção, foco e concentração (positivo, Aries). O Fogo rege o plexo solar e o coração, como calor, motivação, vitalidade, força de vontade e entusiasmo (neutro, Leão). O Fogo rege as coxas como propósito, o poder de se mover no mundo, de se importar com as coisas e assumir responsabilidade (negativo, Sagitário).

Qualquer contato estimulante ressoa com essa nota principal rajásica e promove sua sintonia.


Campos de predominância da Água
A Água é a fase em que a consciência se precipita em solidez substancial. Água é o meio da vida. É caracterizada pelo espectro centrípeto da receptividade, materialização, resistência, inércia e cristalização em forma. A Água ressoa com o arco tamásico, contraente e descendente, que sempre flui para baixo como os campos negativos do corpo.

A força magnética da Água rege a atração, a coesão e o amor. Esse elemento rege o processo de dar e receber amor e sustento, conectando-nos com a vida ao nosso redor.

O elemento Água predomina na cavidade pélvica. Como a Água rege a forma, as questões de reprodução e gênero são centradas nesse nível de vibração. A Água rege os ciclos de renovação, purificação e eliminação no corpo. No corpo como um todo, o campo positivo da Água é o peito (Câncer), o campo neutro é a pélvis (Escorpião), e o campo negativo, os pés (Peixes).

No trabalho do Dr. Stone há um foco principal no campo negativo. A energia sempre se move em ciclos. E no campo negativo do ciclo que os problemas de resistência, tensão e eliminação represam o fluxo que emana do centro. Um ponto chave para a Terapia da Polaridade é trabalhar a eliminação física e emocional no corpo/mente. Os campos negativos de predominância da Água são fundamentais para restaurar a eliminação saudável. Trabalhar com o períneo, a pélvis e os pés como campos negativos libera a tensão crônica e as emoções não- expressas e restaura a eliminação saudável. A tarefa do terapeuta da Polaridade é religar a energia à Fonte.

As três correntes
Os três princípios — sattva, rajas e tamas — governam três importantes correntes de energia no corpo. As correntes transversais ou leste-oeste se relacionam com a qualidade sáttvica da neutralidade e definem o corpo de lado a lado. A corrente transversal predomina na harmonia do Ar da ressonância e se move em espiral em volta da superfície do corpo, emanando do longo eixo do centro no topo da cabeça.

A corrente transversal funciona em equilíbrio, comunicação e coordenação, integrando a periferia do corpo com o centro ultra-sônico e levando informação sensória de fora para dentro. Está, assim, associada ao sistema nervoso parassimpático, que realiza essas funções no corpo.

A corrente ígnea, chamada pelo Dr. Stone de corrente espiral, relaciona-se à qualidade rajásica da energia direcionada. Ela se move em espiral, partindo do umbílico para energizar todo o corpo, criando calor, vitalidade e movimento.

 A corrente espiral define o corpo de dentro para fora, de trás para a frente. O Fogo predomina no mesoderma, na musculatura e nos órgãos assimilativos no corpo. O Fogo se relaciona com o sistema nervoso parassimpático. -
Tamas guna, o princípio da Água, rege as correntes de linha longa que pulsam a partir do centro para sustentar cinco correntes de força de vida em cada lado do corpo. No centro do corpo existe um sistema de chakras que são vórtices conduzindo a energia para baixo, para a manifestação física.

Os chakras funcionam como núcleo dos campos elementais de energia. Cada chacra mantém uma corrente que flui para fora, para funcionar no corpo, e que depois retorna ao chacra. A energia flui através do corpo como as correntes de linha longa que governam os cinco sentidos e regem os processos fisiológicos. As dez correntes de linha longa são associadas ao sistema nervoso central e à energia do ritmo craniano,
As três correntes definem o campo de energia do corpo ao longo de três eixos: correntes transversais lado a lado, correntes espirais de dentro para foral de frente para trás, e correntes de linha longa do alto para baixo.



Correntes de linhas longas. A energia desce para a manifestação física por meio dos chacras, que são o núcleo ou campos físicos de energia.
Esse gráfico conciso, de Mark Allison, ilustra como cada chacra sustenta uma corrente de linha longa de ressonância elemental. (Chitty e Muller, Energy Exercises).


Quantum Terapias Holísticas respeita a Lei 9610/98, Lei do Direito Autoral, referenciando a fonte completa da informação: http://dharmadhannyael.blogspot.com.br/2012/03/chakra-elementos-agua-fogo-terra-eter.html

Um comentário:

  1. Eu sugiro este site aos meus amigos para que pudesse ser útil para eles também. Grande esforço

    ResponderExcluir